Sobre saída e voz

 

saida-voz-e-lealdade

Por Danilo José Viana da Silva (Mestre e Doutor em Direito pela UFPE)

Quando vejo esse livro acabo me lembrando dos meus árduos tempos de graduação em Direito. Principalmente da época em que alguns juristas faziam um considerável alarde por conta do denominado “novo divórcio”: lembro-me dos vários trabalhos que eram exigidos em uma época em que o próprio “novo divórcio” mal tinha entrado em vigor. Simplesmente tanto juristas como estudantes eram estimulados a opinar, algumas vezes, com base em especulações de alguns rápidos “doutrinadores”. Talvez por conta de um fraco incentivo a busca de instrumentos teóricos fora da bibliografia tipicamente e tradicionalmente jurídica, livros como “Saída, Voz e Lealdade” de Albert Hirschman nunca são mencionados. Muito embora os conceitos relacionais de Saída e Voz possam contribuir para um tratamento, no mínimo, mais interessante da questão relativa ao “novo divórcio.” Os conceitos de Saída e Voz visam dar conta de algumas atitudes tomadas por consumidores diante de um estado de deterioração eventual seja de uma empresa, de um partido político, de uma família enquanto uma figuração social, de associações beneficentes, etc. No caso de uma empresa, pode-se visualizar a Saída quando, como lembra Hirscham, “alguns clientes param de comprar o produto” (HIRSCHMAN, Albert. Saída, Voz e Lealdade. Editora perspectiva. 1973. P. 16) ou, no caso de uma família do tipo tradicional, por exemplo, quando um dos cônjuges decide se divorciar. Já no caso da Voz, ela pode ser visualizada quando, no caso de uma empresa, por exemplo, os clientes, ao invés de sair de seu ciclo de consumidores, decidem expressar “sua insatisfação diretamente à direção” (Ibid), ou seja, decidem protestar em prol da melhora dos produtos. No caso de uma família, por exemplo, ao invés do divórcio, os cônjuges iriam expressar suas insatisfações e exigências um ao outro tendo em vista a resolução da eventual deterioração da relação. Há diversas formas de relações entre esses conceitos: há o modelo “gangorra”, onde um deles (Saída ou Voz) tende a prevalecer sobre o outro, há a relação de “fusão” entre eles, por exemplo, quando os defensores da Saída e da Voz , por influências contextuais, acabam se unindo, (Hirschman faz uma interessante análise dessa relação de fusão em “Saída, Voz e o destino da República Democrática Alemã” presente em sua “Auto-subversão”), há também, como lembra o economista, a relação de tipo “hidráulico simples: a deterioração gera a pressão da insatisfação, a qual será canalizada para a voz ou a saída; quanto mais pressão escapa pela saída, menos dela ficará disponível para impulsionar a voz.” (HIRSCHMAN, Albert O. Auto-subversão: teorias consagradas em xeque. Trad.: Laura Teixeira Motta. – São Paulo: Companhia das Letras, 1996. P. 21) Ou seja, o quadro das relações entre Saída e Voz pode se complicar consideravelmente de diversas formas. Esse quadro pode se mostrar útil para a construção de problemáticas que deveriam ser testadas na experiência. No caso do “novo divórcio”, sobre o qual tanto se falava na minha época de graduação (que, aliás, não faz muito tempo), principalmente sobre o seu falado efeito de “desburocratização”, os interessados no assunto poderiam utilizar esses modelos de relações entre Saída e Voz  para formular, por exemplo, algumas questões: o “novo divórcio” estimulou (aumentou os índices) ou não  o fluxo de Saída? Se sim, em que medida e proporções? Será que o eventual estímulo a Saída enfraqueceu a Voz? Qual(s) foi(ram) o(s) tipo(s) de relação(ões) (gangorra, fusão, hidráulica…) que mais se visualiza (ram) a partir do chamado “novo divórcio”? Enfim, várias problemáticas bem mais interessantes poderiam ser construídas, o que, de fato, talvez pudesse estimular um pouco os juristas interessados no assunto a sujar um pouquinho as mãos na oficina da pesquisa empírica, com todos os instrumentos necessários para sua realização.  Talvez a coisa teria ou poderia ficar mais interessante.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s